Notícias

VENDA DE ATIVOS DA PETROBRÁS VOLTA À ESTACA ZERO. TCU VÊ IRREGULARIDADES E SUSPENDE NEGOCIAÇÕES

16 de março de 2017


tcu

Saia justa na Petrobrás. Ao contrário da expectativa da empresa, o Tribunal de Contas da União (TCU) obrigou a empresa a recomeçar do zero os projetos de venda de seus ativos, para corrigir procedimentos considerados irregularidades.  A medida atinge negócios que já estavam em andamento, com a venda da BR Distribuidora e a rede de gasodutos da empresa.  Os únicos empreendimentos que poderão seguir adiante são os projetos Ópera e Portfólio 1, considerados em fase de conclusão. A decisão foi anunciada pelo plenário da corte de contas nesta quarta-feira(15).

Em  dezembro do ano passado, o TCU determinou  que a Petrobrás suspendesse a assinatura de seus projetos de venda até uma nova deliberação. O principal motivo da paralisação foi a identificação de riscos na sistemática adotada para as alienações. Os procedimentos poderiam favorecer atos ilícitos, segundo o tribunal A Petrobrás apresentou a documentação ao TCU informando que todos os ajustes foram feitos sob uma nova metodologia e pediu a liberação dos projetos. O ministro relator José Múcio concordou inicialmente com a proposta, mas mudou de ideia após ouvir outros ministros, como Bruno Dantas, que não concordavam em criar uma situação especial para esses negócios já iniciados.

Na noite desta quarta-feira(15), a Petrobrás divulgou a seguinte nota oficial:

” A Petrobras, em continuidade aos fatos relevantes divulgados em 8/12/2016 e 20/12/2016, informa que decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), proferida hoje, revogou a cautelar que impedia a companhia de iniciar novos projetos de desinvestimento e concluir os que se encontravam em andamento e, no mérito, determinou que a Petrobras passe a adotar sua sistemática revisada para os projetos de desinvestimentos da companhia.

A decisão permite, também, que a Petrobras conclua dois de seus projetos – venda de participação nos campos de Baúna e Tartaruga Verde e de participação no Campo de Saint Malo no Golfo do México norte-americano – que já constavam da lista dos cinco projetos autorizados pelo TCU na cautelar de 07/12/2016, utilizando a sistemática revisada, a partir da fase em que se encontram, e que passe a aplicar a sistemática revisada aos demais projetos, desde o seu início.

A Petrobras informa, ainda, que a sistemática de desinvestimentos está sujeita a melhorias contínuas, sempre observando as melhores práticas de mercado em operações de aquisições e desinvestimentos. A partir das recomendações sugeridas pelo TCU, de modo a aprimorar seu processo competitivo a sistemática foi então revista e apresentada para o Tribunal, culminando com a decisão hoje proferida.

Essa decisão é fundamental para que a companhia possa seguir em frente com seu Plano de Parcerias e Desinvestimentos, que é considerado um dos principais pilares para alcance da meta de redução da alavancagem.

A Petrobras reafirma a manutenção da sua meta de parcerias e desinvestimentos estabelecida no Plano Estratégico de US$ 21 bilhões para o biênio 2017/2018.”

Fonte: https://www.petronoticias.com.br/archives/96022?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+Petronotcias+%28PetroNot%C3%ADcias%29

 

Compartilhamento
Share Button

Outras notícias

Explosão de botijão de gás em prédio deixa morador... Homem de 34 anos foi internado com queimaduras no hospital Santa Casa. As paredes do imóvel ficaram destruídas e o prédio precisou ser interditado. ...
Petrobras fecha venda de Liquigás ao Ultra Por Ivo Ribeiro o Stella Após meses de negociações, a Petrobras concluiu o acordo de venda da Liquigás, distribuidora de gás liquefeito de petróleo...

Título Widget

Espaço para seu Widget Inicial

Rua Manoel Passos, 430 - Santa Cruz
CEP 31150-470 - Belo Horizonte | MG

 

Copyright © 2016 - SIRTGAS.

Todos os direitos reservados.